Diz que não disse, escreveu e apagou

PCP (portugal) tweetou :

Os trabalhadores da Douro Azul que têm o seu salário cortado em 1/3 (e que parte do que recebem é pago pela segurança social, dinheiro de todos nós), gostaram de saber que o seu patrão, afinal, conseguiu arranjar uns milhões para comprar um canal de televisão (a TVI). https://t.co/TPumLJxADb

PCP (portugal) tweetou :

Os trabalhadores, a quem faltam transportes públicos, a quem cortam salário, aumentam o horário, colocam em lay-off ou são despedidos, ficam a saber que, para este governo, os lucros da banca valem mais que os seus direitos. https://t.co/RqkfCdpsaJ

PCP (portugal) tweetou :

Os trabalhadores, a quem faltam transportes públicos, a quem cortam no salário, aumentam o horário, colocam em lay-off ou são despedidos, ficam a saber que, para este governo, os lucros da banca valem mais que os seus direitos. https://t.co/nemUM4btRz

LIVRE (portugal) retweetou @jfelixcardoso :

RT @jfelixcardoso: RT @jfelixcardoso: Ui, o @ruitavares a prometer dar parte do seu salário. Aqui todos o deixam ganhar, aposto ◽

RT @rafaelesmartins: Com um governo de esquerdas aumentos de €20 do salário mínimo, não obrigado. A AR precisa de uma esquerda para o séc. XXI, não pós-marxista, mas pós-Foucault e verde. twitter.com/livrept/status…

António Costa atribuiu hoje prioridade política à celebração de um acordo de concertação social para elevar salários, ao longo da próxima legislatura, e excluiu uma eventual descida da Taxa Social Única (TSU). #Legislativas2019 bddy.me/31JeqJJ https://t.co/jizXRcnagW

RT @pmdjmarques: O Novo Contrato Social para a Europa, pelo candidato do @PES_PSE: ✅ Impostos sobre multinacionais ✅ Salário Mínimo Europeu ✅ Habitação acessível ✅ Igualdade salarial entre géneros ✅ Desenvolvimento Sustentável ❌ Não à austeridade ❌ Não aos extremismos #SomosEuropa twitter.com/TimmermansEU/s…

LIVRE (portugal) respondeu @LiberalLx :

@LiberalLx @TomasCPereira @ruitavares Mas como é que o salário de um eurodeputado é de 17 mil euros mensais?

É que apesar de progressos, as mulheres na UE têm, em média, um salário 16% inferior ao dos homens, continuam sub-representadas nos parlamentos e nos governos, e ocupam apenas 6,3% dos cargos de diretor executivo. Infelizmente, estes números também retratam a realidade portuguesa

É que apesar de progressos, as mulheres na UE têm, em média, um salário 16% inferior ao dos homens, continuam sub-representadas nos parlamentos e nos governos, e ocupam apenas 6,3% dos cargos de diretor executivo. Infelizmente, estes números também retratam a realidade portuguesa